SUPORTE TÉCNICO AO TRANSPORTE AÉREO DA PETROBRAS

A TÜV Rheinland Brasil, subsidiária de um dos maiores grupos mundiais de certificação, inspeção, gerenciamento de projetos e treinamentos, acaba de iniciar a operação dos Serviços de Apoio Técnico em Aviação (SATA), que possui como cliente a Petrobras. O projeto visa fornecer suporte técnico e operacional para Petrobras em diversas frentes.

A TÜV Rheinland presta Serviços de Apoio Técnico em Aviação em seis bases aéreas; Suporte Especializado em operações aéreas e offshore em Macaé (RJ); Serviço de sinalização em pátio de aeródromo, especificamente auxiliando as movimentações em terra das aeronaves na base de Farol de São Tomé (RJ); e o Serviço de suporte à gestão de frota, com atuação administrativa, que engloba conferência e registro de fornecimentos diários de querosene de aviação, emissão de relatórios diários de atividades, entre outras atribuições.

Durante o projeto, a TÜV Rheinland é a responsável pela realização do trabalho de consultoria nas bases aéreas para verificar a adesão de cada uma aos requisitos regulatórios do setor, nas determinações de segurança das operações de voo e de manutenção, bem como na conformidade dos processos internos de gestão da frota de aeronaves.

As ações acontecem no momento de perspectiva de crescimento das atividades petrolíferas no Brasil e da própria Petrobras, em termos de investimentos e de produção de óleo e gás. Atualmente, são quase 90 helicópteros dedicados ao transporte de empregados para as plataformas de petróleo e sondas de perfuração de poços localizadas em alto mar.

Em agosto de 2017, segundo a Petrobras, as seis bases movimentaram 74.421 passageiros, sendo 2.400 passageiros por dia, em 3.550 voos realizados. Ao todo foram 45 toneladas de carga transportada. Apenas a Base de Farol de São Tomé, administrada pela Petrobras, registrou 966 voos e mais de 24.000 passageiros.

“Nossa equipe de trabalho, formada por profissionais altamente capacitados, atua para assegurar que as operações como um todo estejam plenamente de acordo com os requisitos contratuais e com as normativas que regem as atividades do setor”, afirma Guilherme Beil Amado, Coordenador Técnico na TÜV Rheinland Brasil e gerente do contrato. Segundo ele, há uma estimativa do aumento da operação para 100 aeronaves dedicadas em 2018.