EDIÇÃO 02

capa crane 02 edicoes
Revista Crane Brasil – Edição n° 02

Caro leitor,

Por Nelson Valêncio

Pare de ler este editorial agora e vá direto para a seção InfoCrane curtir o maravilhoso Dinner in the Sky, mas retorne aqui! Voltou? Ótimo. Assim como na foto do “jantar no céu”, gostaríamos de brindar o bom momento do setor. É um brinde sereno, porque as entrevistas ao longo da edição indicam que os profissionais estão com os pés no chão. Em conversas com empresas como Guindastes Tatuapé (nossa capa), Irga, Metamont, Grummont, confirmamos o círculo virtuoso atual. Mas sem o artificialismo de outras épocas. Vide a movimentação da Standard no seu retroporto de Cubatão, também registrada nas próximas páginas.

Em função disso, queremos tê-lo como parceiro para compartilhar ainda mais não só a economia crescente como também a experiência em campo. A revista é feita para os profissionais envolvidos na gestão e movimentação de cargas e materiais. Então, não se acanhe. Escrevanos para criticar ou para sugerir temas e reportagens. Boa leitura.

Na edição de n° 02 da Crane Brasil, a revista trouxe um artigo sobre a importância da utilização de gruas em construções industrializadas, uma entrevista com Vânia Rocha Arienzo, então presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas de São Paulo e Região (Setcesp).

(Maio/junho/julho de 2008)

POR QUE USAR GRUA?

Por Walter Antonio Scigliano,

por que grua equip 14Considerando-se o custo global da obra com e sem o equipamento, a grua se
torna a cada dia mais indispensável numa construção realmente industrializada.

A pergunta – por que usar grua está na cabeça de muitos diretores de construtoras, pressionados por custos de venda de seus produtos cada vez menores. Em sua grande maioria eles ainda trabalham de forma arcaica, com índices de produtividade bastante aquém das necessidades. Não que a forma de trabalho artesanal utilizado apresente um produto de baixa qualidade. Pelo contrário, conseguem produtos de muito boa qualidade. O problema são os custos elevados.

O primeiro passo para que as empresas possam se reciclar e evoluir tecnicamente é partir para os sistemas de construção racionalizados. Posteriormente, adotar a pré-industrialização e, finalmente, chegar à industrialização da construção. É nessa etapa que as gruas tornam-se indispensáveis.

Com elas transportamos cargas de grande porte ­ do ponto de carregamento até o de aplicação ­ sem perdas ou quebras de materiais durante a operação. E isso com agilidade e rapidez. As gruas dispensam um contingente de mão-de-obra, respeitando as limitações físicas dos operários, sem prejuízos à sua saúde e os levando a atuar em serviços melhor qualificados. Nos países
evoluídos, econômica e socialmente, não se pergunta se será ou não utilizada a grua e sim quantas serão adotadas e quais as configurações e capacidades.

Quando a construtora implementar o uso de gruas em suas obras romperá a inércia do passado, fazendo com que todo pessoal envolvido passe a planejar, com antecedência, a melhor forma de usufruir o equipamento. Irá planejar também, o melhor sistema construtivo a ser utilizado em suas obras no futuro, adotando definitivamente os sistemas avançados de construção. E conseguirá compatibilizar os custos do seu produto final, fazendo com que ele caiba no bolso dos seus clientes.

(Maio/junho/julho de 2008)

O HOTEL GUINDASTE HOLANDÊS

infocrane 01

Esse é o hotel guindaste, criado em Harlingen, na Holanda, e listado como uma experiência que todo viajante  descolado deve ter na vida. Veja os detalhes:

1) Harlingen fica a uma hora de carro de Amsterdã. O hotel está a 10 minutos de caminhada do centro da cidade e também pode ser alcançado por trem, partindo-se de Amsterdã.

2) As reservas são feitas por telefone. A diária para 2008 custava 319 euros, com direito a café da manhã. Conheça mais visitando o site: www.vuurtoren-harlingen.nl

3) As escadas externas foram retiradas e um elevador foi colocado em seu lugar para dar acesso ao quarto de luxo do hotel – antiga sala de controle da máquina. Equipamentos de som e áudio de última geração foram adicionados ao guindaste.
infocrane 01 opcao 02

4) O hotel figura entre os locais mais inusitados da hotelaria mundial e faz parte de um projeto de revitalização do porto da cidade holandesa.

5) O ponto alto do equipamento e no entanto, é a possibilidade de operar um guindaste de trabalho ou um personal crane, como dizem os idealizadores do estabelecimento.

EDIÇÃO 01

crane 01 capa edicoes

Caro leitor,

A Crane Brasil chega ao seu segundo número (após o projeto inicial, o piloto) graças ao crescimento do País. Nosso objetivo é oferecer uma publicação altamente focada na movimentação pesada e manuseio de cargas e materiais. A informação qualificada é a matéria-prima para nosso trabalho.

E para isso fomos conferir in loco a maior parte dos assuntos presentes nesta edição: da entrega do maior moinho de vento da América do Sul até a conversa com um dos líderes do setor, a Locar.

De Holambra, no interior de São Paulo, fomos para a Holanda (virtualmente, claro) conferir o único hotel guindaste do mundo (veja em InfoCrane).

Em nossas conversas um tema é recorrente: o aquecimento dos setores, o que repercute nas várias matérias falando de ampliação e/ou criação de fábricas (Terex, Madal Palfinger, PHD, Manitowoc e Luna). Em resumo: temos muito o que conversar nesta e nas edições futuras. Boa leitura.

Na primeira edição de fato da Revista Crane Brasil, havia um artigo detalhava o funcionamento da norma NR-18, informações sobre os cursos do Instituto Brasil Canadá (IBC) para operadores, eventos do setor de elevação de cargas e lançamentos de guindastes montados sobre caminhões pela National.

O Editor

(Fevereiro/março/abril de 2008)

EDIÇÃO PILOTO

crane 1 capa edicoes
Revista Crane Brasil – Edição Piloto

Tecnologia avança, mas depende ainda de bons operadores

O piloto da revista Crane Brasil foi apenas um pontapé inicial do que significaria um veículo inédito e exclusivo, destinado ao setor de elevação e movimentação de cargas. A revista chega em 2014 ao seu quinto ano de existência, transformada e recheada de informações e novidades para o segmento.

O projeto inicial contava com artigos de personalidades do setor, como Luis Carlos Rocha, sócio-diretor da Guindastec, e Sérgio Antonio, auditor fiscal do Trabalho (DRT-SP). A Crane Brasil inicial trouxe notícias relacionadas à legislação, com o registro de inspeção de máquinas e equipamentos de elevação, tributação, com a isenção para peças, e investimento, com a dica de recursos voltados para a formação de operadores qualificados.

No que viria a se tornar a seção “Telescópio”, com as notícias mais quentes do setor (novidades de mercado), as primeiras informações eram de que a Terex Latin America havia centralizado suas ações em Alphaville (SP), máquinas apresentadas durante a feira Bauma, como o telescópico mais potente do mundo, o Liebherr LTM AT 11200-9.1 e o módulo compacto Terex AC AT 100/4.

Redação Crane Brasil

(Julho/agosto/setembro de 2008)

TOP CRANE

Entrevistas concedidas ao longo das edições do Prêmio Top Crane, realizado desde 2010 pela Revista Crane Brasil! A premiação exclusiva é um reconhecimento às melhores empresas do setor de elevação e movimentação de empresas. São julgadas categorias como Frotas, Inovação Tecnológica, Estudo de Caso, Sustentabilidade, Integração, entre outras.

Durante a quarta edição do evento, que ocorreu no ano passado, foi incorporado o Prêmio Heavy Duty, destinado às melhores companhias do segmento de transporte pesado e extrapesado.

Transportes Especiais